quarta-feira, 5 de outubro de 2011

34 anos de Grupo Desportivo Cova-Gala

Os sonhos e os rostos são os mesmos. As vitórias, as promessas e as dificuldades teimam em permanecer. O campo é o mesmo, lamentável!
Hoje, 5 de Outubro de 2011 o Grupo Desportivo Cova-Gala celebra 34 anos de existência.
Naquele pedaço de saibro, miúdos com idades compreendidas entre os 6 e 12 anos de idade praticam no clube que por opção escolheram a modalidade que gostam – futebol.
Segundo consta ao lado do campo do Grupo Desportivo Cova-Gala vai nascer mais uma invenção do poder local - um campo sintético (4 x 4). Uma espécie de campo de futebol (idêntico ao campo do parque de merendas – “o ex-líbris da vila”). Não quero acreditar que seja verdade. Alias, não pode ser verdade!
O Grupo Grupo Desportivo Cova-Gala sonha com o campo prometido. O Grupo Grupo Desportivo Cova-Gala merece o campo prometido.
 A “Vila de S.Pedro” dos boys não merece este Cova-Gala que luta todos os anos para sobrevir.
A “Vila de S.Pedro” dos boys devia ser mais do que uma terra de rotundas idealizada por cabeças quadradas.
O Grupo Grupo Desportivo Cova-Gala dificilmente formará "craques". No entanto, uma coisa é certa, o    Grupo Grupo Desportivo Cova-Gala continua diariamente a formar Homens!..

Parabéns Grupo Desportivo Cova-Gala

2 comentários:

  1. Nunca joguei na equipa do Cova-Gala, não, nunca.
    Mas foi nessa terra, nesse São Pedro que aprendi a defender... ao bom estilo da rua.
    Tal como todos vocês, acordava nas férias com o desejo de ir jogar para o campo, paticipava nos torneios organizados e delirava com a quantidade de miudos da minha idade, de todas as idades, que se juntavam para jogar aquele que é o desporto mais bonito e emocionante do mundo, o futebol.
    Tinha precisamente 12 anos quando saí daí e acabei por jogar futebol mais organizado, sem ser ao estilo de rua. Contudo, nunca esqueci onde aprendi a jogar, as minhas raízes, a essência. Devo-o a todos vocês,com quem aproveitei os melhores tempos de criança. Tive oportunidade de jogar no Cova-Gala mais tarde, mas,fruto da indisponibilidade que a vida nos dá não pude. Na memória, guardo com saudade um torneio junior que aí joguei, organizado pelo Cova-Gala, quando ainda tinha idade de juvenil. Quis o destino que o trofeu mais significativo que tenho fosse ganho na minha terra, na terra onde nasci e vivi durante 12 anos. Um guarda redes em formato de pequena estátua como prémio, um reconhecimento concedido, entregue pelas mãos de um grande senhor, Custódio Cruz.
    Hoje, já crescido e como simples e mero apreciador de futebol, leio a tua reportagem e vejo aquela fotografia de um menino cheio de sonhos com uma bola nas mãos, com umas luvas gastas do pelado, e com as suas ancas em ferida, por dar tudo o que tem para parar cada remate, em nome do clube. Mas reparem no menino... não reclama, não pede nada a ninguém, e continua com um ar alegre e confiante. Eu fui assim... revejo-me naquele miúdo.
    Com isto quero dizer que os miudos merecem ser felizes e, por que não ajudá-los a atingir essa felicidade? Porque não desfrutar da felicidade deles?
    Esse clube merece condições até porque, ao longo dos anos que joguei futebol, vi muitos bons jogadores sairem daí para outros clubes, à procura dessas tais melhores condições, de apoio e reconhecimento.
    Porque não proporcionar-lhes isso... aos filhos da terra?

    Grande abraço Pedro,
    conheço-te faz muito tempo e noto que tens feito um grande trabalho na divulgação de coisas nossas, tão bonitas aos olhos dos outros e que por vezes não damos valor.


    Tiago Carvalho

    ResponderEliminar

Bodas de Papel: Diana&Daniel

http://pedrojoseagostinhodacruz.blogspot.pt/p/operacao-casorio.html